CaseStudies

2011-03-14 14:57:00

Case Study - Portugal

Criação do ecossistema das tecnologias educativas e de aprendizagem em Portugal

Há duas décadas atrás, Portugal tinha um posicionamento muito débil no domínio das Telecomunicações e da Sociedade da Informação. Quando aderimos à Comunidade Económica Europeia em 1986 estávamos na cauda da Europa na grande maioria dos indicadores de desenvolvimento nestes sectores.

Feita a opção europeia, compreendemos que tínhamos de romper com o nosso passado de isolamento, e que precisávamos de nos inspirar no período da história em que melhor soubemos demonstrar a nossa capacidade de crescimento e inovação, quando há mais de 500 anos fomos os precursores da globalização, descobrindo os territórios de África e do Brasil e estabelecendo as rotas marítimas para o Oriente.

Foi em nome de uma nova visão e de um novo desígnio para Portugal, que em 2005 é lançado um ambicioso Plano Tecnológico.

Com este plano nasceu a ambição de promover o acesso generalizado dos cidadãos e das empresas às Tecnologias da Informação e Comunicação, com o objectivo de construir uma economia dinâmica e competitiva e uma Sociedade de Informação inclusiva. 

Em poucos anos, Portugal passou da cauda para um lugar de destaque na Europa.

Em resultado deste plano, Portugal destaca-se hoje nas seguintes áreas:

·         Nas Redes de Nova Geração - Somos líderes europeus com 3,5 milhões de ligações e temos um programa que permitirá uma cobertura de 100% do território nacional até 2012.

·         Na Banda Larga - Fomos o primeiro país da Europa a ligar todas as escolas públicas e temos hoje 100% do território coberto.

·         Na Banda Larga Móvel - Somos lideres na Europa.

·         Na oferta de serviços de telecomunicações - Somos o país da Europa com o maior número de assinantes que usam um operador alternativo para acesso directo.

·         No Móvel - Temos o segundo maior nível de penetração da Europa e somos dos primeiros países a investir na 4G.

·         No e-government somos líderes europeus na disponibilização de serviços electrónicos para os cidadãos e as empresas.

·         Na TDT - Temos a televisão digital já com uma cobertura nacional na ordem dos 80%, com um ano de antecipação.

·         Na massificação das TIC - implementámos o programa e.Escola - único programa no mundo a garantir o acesso de um computador portátil a toda a comunidade escolar, num total de 1.4 Milhões de computadores e 900 mil ligações à Internet em Banda Larga.

·         Na Balança Tecnológica atingimos - desde 2007 e pelo terceiro ano consecutivo - um saldo positivo, o que significa que exportamos mais tecnologia do que aquela que importamos. 

O programa e.Escola, que respondeu a um défice estrutural do país, é hoje um flagship do Plano Tecnológico, constituindo já um case-study internacional.

O esforço que Portugal está a realizar tem vindo a ser reconhecido internacionalmente.

As Nações Unidas assinalaram recentemente Portugal como um exemplo de boas práticas que facilitam e potenciam o desenvolvimento de novos serviços centrados no cidadão, através do uso das TIC, o pioneirismo das iniciativas e.escola e e.escolinha, e os resultados singulares obtidos na cobertura do território nacional (100%) e na ligação das escolas públicas por banda larga (líder europeu), e ainda na penetração de banda larga móvel (a 2ª mais elevada da Europa).

Também a União Internacional das Telecomunicações - UIT, organização das Nações Unidas para as Telecomunicações e a Sociedade da Informação, considerou o programa e-Escola, como uma iniciativa exemplar, a replicar internacionalmente, na promoção de computadores portáteis de baixo custo e na eliminação de barreiras no acesso às TIC, apostando na sua disseminação em sectores chave da sociedade e da economia, como instrumentos críticos para o desenvolvimento.

 

Nasceu, assim, o e-School International, um programa que consiste na implementação de salas de aulas piloto, de acordo com o conceito de "escola do futuro", em diferentes países de vários continentes.

Estes programas não têm apenas como objectivo revolucionar a escola, mas toda a sociedade, atendendo ao forte impacto que a mobilidade representa para a info-inclusão das famílias e das comunidades dos beneficiários.

Mas tão importante como o impacto na escola e na sociedade é a importância destes projectos para a economia.

Em Portugal, o programa e.Escola fez nascer uma indústria portuguesa de tecnologias da educação e da aprendizagem, dando lugar à criação de um novo ecossistema.

Em resultado desta oportunidade, foram sendo criadas um conjunto de micro, pequenas e médias empresas com capacidades diversificadas, cujos produtos e serviços já estão testados no mercado nacional, e que em conjunto reúnem a massa crítica e a dimensão suficientes para se lançarem no exigente desafio da internacionalização.

O nascimento de um ecossistema de tecnologias num domínio crítico para o desenvolvimento socioeconómico dos países, como é o caso da educação e aprendizagem, representa uma experiência de empreendedorismo e de inovação única, que conduziu ao processo de constituição de um consórcio de empresas, que assumiu a designação de E.XAMPLE e que tem como principais valências:

·         Computadores portáteis;

·         Quadros interactivos;

·         Rede local;

·         Servidores;

·         Software aplicacional e de gestão;

·         Conteúdos digitais interactivos;

·         Eficiência energética;

·         Sistema de gestão e controlo;

·         Planos de utilização das TIC na educação e aprendizagem.

O Consorcio E.XAMPLE tem a ambição de se posicionar no mercado global como a única empresa capaz de oferecer uma solução integrada para a "escola do futuro", já implementada e validada num país como Portugal, que detém hoje uma posição de liderança no domínio das tecnologias da educação e aprendizagem.

O mercado mundial, estimado em centenas de milhões de alunos, representa, assim, uma aposta extremamente aliciante para as empresas portuguesas, que uniram forças para agarrar esta oportunidade e se lançarem num desafio à escala global.   

 

 

Documentos para download